ABEF e SINABEF realizam evento para discutir a reforma política no Brasil


A ABEF e o SINABEF reuniram empresários do setor de engenharia de fundação e geotecnia para falarem sobre reforma política e os diretores das instituições marcaram presença no evento, bem como representantes de empresas associadas. O tema foi desenvolvido durante as palestras ministradas pelos doutores Modesto Carvalhosa e Valdinei Ferreira, que, posteriormente, seguiram com um bate papo entre os presentes.


Modesto Carvalhosa iniciou falando sobre a corrupção no Brasil. De acordo com ele, a apropriação privada dos recursos públicos é o principal problema a ser combatido para que o país possa superar a atual crise econômica e política. “Existem três tipos de corrupção: a constitucionalizada, a legalizada e a criminalizada. Para que isso tenha fim é preciso uma mudança efetiva na estrutura, começando com a tentativa de promulgar uma nova constituição, que proíba a reeleição, já que tal instituto tem sido o nascedouro de castas de políticos profissionais que dominam, com interesses particulares, todos os setores do governo brasileiro”, defendeu o jurista.


Valdinei Ferreira seguiu a mesma linha de raciocínio e apresentou uma proposta com sete pontos fundamentais para efetivar uma reforma política, quais sejam: 1) Fim do foro privilegiado; 2) Fim das reeleições sem limites para o legislativo; 3) Fim das emendas legislativas no orçamento da União; 4) Adoção do voto distrital; 5) Racionalização do tamanho, da proporcionalidade e dos custos da representação política nas esferas da União, dos Estados e dos Municípios; 6) Redução da influência do dinheiro nas campanhas eleitorais; 7) Aprimoramento dos mecanismos de nomeação e aprovação para os tribunais (STF, TSE, Tribunais de Constas). Sua tese mostra dados alarmantes sobre a violência e a falta de expectativa dos jovens brasileiros.


“Qualquer reforma política de verdade precisa tratar, essencialmente, desses pontos, pois temos um sistema no qual pessoas se perpetuam no poder e não pensam na nação. Isso é comprovado quando constatamos que 9 em cada 10 deputados devem disputar releição. A taxa de renovação no congresso não chega a 4% porque o sistema foi pensado para não permitir a renovação e priorizar a perpetuação”, afirmou Valdinei Ferreira, ao defender pressupostos básicos, nos quais a democracia possui valor inegociável, o estado laico precisa ser valorizado e o total repúdio ao uso de títulos religiosos por parte dos candidatos representantes de entidades religiosas.


Para Modesto Carvalhosa, figura emblemática na luta contra a corrupção, além de não reeleger esses políticos eternos que usurpam a nação, é essencial que o povo brasileiro valorize movimentos como a Lava Jato e lute pela promulgação de uma nova constituição para o país, livre dos vícios que infestam a Carta Magna de 1988, em vigor


O presidente da ABEF, engenheiro Gilberto Manzalli, agradeceu imensamente a presença dos palestrantes e de todos os presentes e afirmou que o encontro foi uma grande oportunidade de obter esclarecimentos sobre a política do Brasil "Em minha gestão, continuarei trabalhando em prol de uma política mais honesta e em favor do crescimento brasileiro", declarou.


Todos os detalhes sobre o Reforma Brasil podem ser encontrados no site do movimento.