Especialistas querem mais planejamento e projetos estruturantes para superar os gargalos na infraestrutura

O fim da recessão e a retomada gradual do crescimento econômico constituem uma oportunidade única para que o Brasil redefina os caminhos para levar o país a um desenvolvimento verdadeiramente sustentável de sua infraestrutura ao longo das próximas décadas. Para realizar esse debate e pensar em soluções efetivas, um grupo de engenheiros e geólogos, urbanistas, historiadores e advogados estará reunido em São Paulo, no dia de 22 de novembro deste ano, em um workshop cujo tema é “Projetos Estruturantes para a Infraestrutura Brasileira”.

O encontro é a primeira decorrência prática da Carta Manifesto proposta em setembro deste ano por duas entidades ligadas à engenharia e apoiada por várias outras associações do setor. Lideram esse movimento a ABMS (Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica), ABGE (Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental) e o CBDB (Comitê Brasileiro de Barragens).

Esse grupo de especialistas em infraestrutura e engenharia quer uma série de mudanças na forma como o país lida com os principais projetos de infraestrutura. Tais técnicos propõem que seja superada a improvisação, que leva os gestores públicos a implantar projetos muitas vezes grandiosos, dispendiosos e que não cumprem prazos e orçamentos de obra, nem os objetivos para os quais foram desenvolvidos. Entendem que é preciso planejamento, que é necessário realizar estudos de viabilidade, de impacto ambiental, desenvolver projetos básicos e executivos, licenciamento ambiental, dentre outros.

Participam do workshop, como palestrantes, três especialistas de outras áreas que não a engenharia. Pretendem os organizadores dar voz a profissionais de outras áreas para que se possa analisar e compreender de forma ampla o tema da retomada dos investimentos em infraestrutura.

João Sette Whitaker, arquiteto, professor e economista, vai tratar da “Infraestrutura Urbana”. Já o professor e cientista político Luiz Felipe de Alencastro vai discutir o tema “Condicionantes Históricos”, cabendo ao advogado Mauro Augusto Perez, professor da Faculdade de Direito da USP, analisar os “Condicionantes Legais para Investimentos”.

A moderação do debate será feita pelo engenheiro Tarcísio Barreto Celestino, professor da Faculdade de Engenharia da USP de São Carlos e executivo da Themag. Celestino preside a principal entidade internacional de túneis, a ITA (Associação Internacional de Túneis e do Espaço Subterrâneo).

Serviço:

WORKSHOP: “Projetos Estruturantes para a Infraestrutura Brasileira”.

LOCAL: Auditório do Condomínio Villa Lobos Office Park – Av. Queiroz Filho, 1.700, V. Hamburguesa, São Paulo.

DATA: 22 de novembro de 2017, das 8h00 às 12h00

INSCRIÇÕES GRATUITAS: http://www.abge.org.br/projetosestruturantes

 

Entidades Apoiadoras:

ABCE – Associação Brasileira de Consultores de Engenharia

ABEG – Associação Brasileira das Empresas de Projetos e Consultoria em Engenharia Geotécnica

ABRH – Associação Brasileira de Recursos Hídricos

AEAMESP – Associação de Engenheiros e Arquitetos do Metrô SP

AGP – Associação dos Geólogos de Pernambuco

APG – Associação Paulista de Geólogos

CBMR – Comitê Brasileiro de Mecânica das Rochas

CBT – Comitê Brasileiro de Túneis

Febrageo – Federação Brasileira de Geólogos

IGS Brasil – Associação Brasileira de Geossintéticos

SIGESP – Sindicatos dos Geólogos no Estado de São Paulo

 

Por assessoria da ABMS

Compartilhar via: